Investigação

Cinco projetos da Universidade de Coimbra com financiamento de cerca de 750 mil euros para estudar diversas patologias

Montante vai contribuir para investigações do Centro de Neurociências e Biologia Celular sobre a doença de fígado gordo não alcoólico, a doença de Machado-Joseph e a utilização de exossomas (pequenas vesículas) para fins terapêuticos

09 agosto, 2022≈ 5 mins de leitura

Cinco projetos do Centro de Neurociências e Biologia Celular da Universidade de Coimbra (CNC-UC) vão contar com financiamento de cerca de 750 000 euros da Autoridade de Gestão da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro (CCDRC), através do Programa Operacional CENTRO 2020. O montante global vai contribuir para investigações relacionadas com a doença de fígado gordo não alcoólico, com a doença de Machado-Joseph e com a utilização de exossomas (pequenas vesículas) para fins terapêuticos.

O projeto relacionado com a doença de fígado gordo não alcoólico vai ser conduzido por Paulo Oliveira, investigador do CNC-UC. Chama-se “MitoBOOST v2.0 - Prova de Conceito para o Uso de Polifenóis Dirigidos à Mitocôndria para Tratar a Doença do Fígado Gordo Não- Alcoólico” e pretende efetuar uma prova de conceito relativa ao uso de uma nova molécula, AntiOXBEN2, ainda em fase de pré-clínica, para o tratamento desta doença, que tem vindo a crescer nas últimas décadas e que afeta cerca de um quarto da população mundial. O projeto resulta de um consórcio entre o CNC-UC, a empresa Mitotag e a Faculdade de Ciências da Universidade do Porto, que desenvolveu a molécula em causa.

Para o estudo de exossomas, Lino Ferreira, investigador do CNC-UC, vai coordenar o projeto “BIO-MED: Engenharia Biomolecular de Vesículas Extracelulares para Medicina Regenerativa” que tem como foco a utilização destas pequenas vesículas, naturalmente existentes no organismo, como sistemas de libertação de fármacos para fins terapêuticos.

Os restantes três projetos têm um foco comum, a doença de Machado-Joseph, uma doença neurodegenerativa rara, com prevalência em Portugal mais ainda sem cura. Luís Pereira de Almeida, professor da Faculdade de Farmácia da Universidade de Coimbra e presidente do CNC-UC, coordena o projeto “MJDedit - Sistemas de edição génica para o gene ATXN3: Uma terapia para a doença de Machado-Joseph”, que visa encontrar uma terapia para esta doença, através de ferramentas de edição genética. Estratégias eficazes para esta doença são potencialmente aplicáveis a outras doenças do cérebro.

Já o projeto “BDforMJD - Desenvolvimento de um biomarcador para a Doença de Machado-Joseph”, liderado pela investigadora do CNC-UC Magda Santana, pretende desenvolver um biomarcador (identificador biológico) para monitorização da progressão da doença Machado-Joseph e para avaliar a resposta a terapias em estudos intervencionais.

O projeto “ModelPolyQ 2.0 - Modelos animais avançados para doenças de poliglutaminas”, é coordenado por Rui Jorge Nobre, também investigador do CNC-UC, e tem como propósito o desenvolvimento de modelos celulares e animais para doenças de poliglutaminas, como é o caso da doença de Machado-Joseph, recorrendo a um estojo de vetores virais criado no CNC-UC.

Os projetos são vencedores do concurso "Aviso 01/SAICT/2021 - Reforçar a investigação, o desenvolvimento tecnológico e a inovação - Projetos de Prova De Conceito (Pdc)" que pretende valorizar atividades de desenvolvimento científico e tecnológico promovendo a translação da ciência e tecnologia para a sociedade.

Cada um dos cinco projetos vencedores tem a duração aproximada de um ano e podem ser consultados aqui.